CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

Seguidores

terça-feira, 8 de junho de 2010

Escrevo




Minha ambição não é ser poeta.
Não é ser escritora.
Nem gosto da minha maneira muito particular de escrever.
Mas escrevo.

Escrevo porque me faz bem.
Transformo em palavras os sentimentos que precisam ser libertos de minha alma.
É minha maneira de estar sozinha sem sentir solidão.

Escrevo quando a nuvem esconde a luz do dia.
Escrevo antes da lua do dia se mostrar.
Quando tenho o silêncio dentro de mim.
Quando a ausência de sentimentos que sinto está ausente…
Sinto que algo novo nasce a cada momento quando liberto meus versos.

Escrevo nos momentos onde existem lembranças extremamente radiantes ou quando há um excesso de sentimentos exageradamente melancólicos.
Porque sou extrema.
Extrema na vida...
Extrema no pensar...
Extrema ao escrever...

Sinto que continuo a nascer e a crescer a cada momento que escrevo e a cada minuto que passa.


A todo instante
há revoltas internas a reprimir-me...
a dar-me voltas à mente
Quase a explode aqui dentro.

Quando escrevo
sou eu...
mas posso ser voçe,
porque nas palavras
há resíduos…vestígios de uma vida.

Escrevo porque tenho curtos instantes de paz...
que por vezes são tão desastrosos quanto uma guerra.
Procuro a paz.
Por isso escrevo.


Aninha 

7 COMENTÁRIOS!:

Sil.. disse...

Simplesmente lindooooooo esse texto.

Um abraço grande!

Geraldo de Barros disse...

curioso, quando escrevemos ou lemos é como se estivessemos desabotoando as palavras do papel, da tela ou de qualquer outra superfície. desabotoamos essas palavas e vestimos um silêncio que há em cada uma delas. um silêncio que aproxima quem lê de quem escreve e que quem escreve de quem lê. um silêncio que talvez não diga quem sou ou quem você é, mas nos conforta das dores e tristezas comuns de alguma forma a todos. nessa superfície nua não há só tristeza, também há a alegria. algo que nos faz bem, pois nos preenche sem nunca nos completar ao todo. haverá sempre algo, para tocarmos, para sermos tocados. como esse seu texto, que nos toca não com palavras, mas com sentimentos, com reflexões, de alma em movimento, que abre sempre possibilidade quando escreve =)

Beijo
G

prosasdeoutono disse...

Olá Anita,

e deixa-me dizer-te que gosto de te ler...

Beijos
Alex

Eduarda disse...

Momentos...a vida é um momento, um sopro de brisa, quente e fria, mas linda!
Sinto o teu sentir em todo o meu Ser...como eu te entendo, dizes bem, as tuas palavras podem ser as minhas, não são de ninguém...
Escreve, escreve, escreve até sentires essa Paz na sua plenitude.

Um beijo mt grande,
Edu

Santa Cruz disse...

Aninha: Simplesmente muito lindo, estas como eu escrevo mas não quero ser poeta, escrevo com a força da minha alma e o pensar do meu coração.
Um beijo
Santa Cruz

Renan Barbosa disse...

Parabéns pelo Blog! Vi que você me seguia e entrei no blog... Os temas dos versos e letras de músicas postadas aqui, revelam o q muitos de nós sentimos mas devido ao vazio de pensamentos que a sociedade vive... Simplesmente ignoramos, a unica maneira de voltarmos a pensar é: Escrever; externar nossos pensamentos e sentimentos. Por isso que escrevo!

Bjuss!!

nas entrelínguas disse...

"Quando escrevo
sou eu...
mas posso ser voçe,
porque nas palavras
há resíduos…"
LINDO TEXTO! e essa paradoxal paz bélica!
Escrevo como quem afaga um corpo no papel...

Acredite no poder da atração!

Vote!

Top30 Brasil - Vote neste site!